Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

cmtv  tvi24  cais  

Últimos assuntos
Galeria


Outubro 2018
DomSegTerQuaQuiSexSab
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

CECOTRAN alerta: “É necessário acelerar a chegada dos fundos europeus às empresas do Norte de Portugal e da Galiza”

Ir em baixo

CECOTRAN alerta: “É necessário acelerar a chegada dos fundos europeus às empresas do Norte de Portugal e da Galiza”

Mensagem por Admin em Qui Jun 12, 2014 10:51 pm


“É necessário acelerar a chegada dos fundos europeus às empresas e às economias do Norte de Portugal e da Galiza para que se possa sair, definitivamente, deste momento de crise. O CECOTRAN prevê uma demora na atribuição dos fundos e pretende transmitir essa preocupação às entidades competentes dos dois países”. O alerta foi lançado por António Marques, presidente do Centro de Cooperação Transfronteiriço (CECOTRAN), num encontro realizado, hoje, em Braga, e que reuniu a Confederação de Empresários de Pontevedra (CEP), a Confederação de Empresários de Ourense (CEO), a Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC) e a Associação Industrial do Minho (AIMinho).

Para António Marques, ”um dos grandes problemas de Portugal e da Galiza é o financiamento à economia. A Europa ainda não percebeu que está a esmagar as empresas e a esmagar a sua própria economia. Em Portugal, para financiar as empresas públicas e o Estado português retiramos esse dinheiro à economia e ao sistema financeiro. Nos bancos portugueses, o indicador crédito sobre depósitos estava em 160% e tem de vir para 120% no final deste ano. Esse dinheiro tem de sair de algum lado. As estatísticas do Banco de Portugal dizem que o crédito à economia na área das micro e pequenas e médias empresas desceu brutalmente. Nós temos de desbloquear isto. Sem financiamento à economia e às empresas nós não crescemos. E uma das formas de ajudar ao financiamento da economia é também acelerar a chegada dos fundos europeus”.

No que diz respeito ao Programa de Cooperação INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP 2014-2020) e ao Horizonte 2020, o CECOTRAN quer apresentar projetos transfronteiriços “com músculo” e diretamente a Bruxelas. Para apoiar estes projetos, que são estratégicos para a região transfronteiriça, o CECOTRAN considera necessário “construir redes robustas” com centros tecnológicos, universidades e associações empresariais. Pretendem ainda contar com o apoio do Governo de Portugal, da CCDR-N, do Governo espanhol e da Xunta da Galicia.

No encontro concluiu-se que os projetos a apresentar ao POCTEP 2014-2020 e ao Horizonte 2020 deverão incidir em áreas que importam às empresas, nomeadamente mobilidade, energia e eficiência energética, inovação, reindustrialização, recursos naturais e turismo, “áreas que estamos a amadurecer”, refere António Marques.

Sobre a 27.ª Cimeira Ibérica Portugal-Espanha, realizada no dia 4 de junho, em Vidago, Chaves, o presidente do CECOTRAN mostrou-se satisfeito por terem colocado na agenda aspetos de extrema importância para as empresas, desde logo a energia e a mobilidade. No entanto, considera que a movimentação de mercadorias da zona do Norte de Portugal e da Galiza “está pouco clara. Mesmo no que respeita à ligação Porto-Vigo não está bem assente de que forma se vai fazer a movimentação de mercadorias. Sabemos que no Norte de Portugal haverá uma ligação Porto-Aveiro / Aveiro-Salamanca e outra, mais abaixo, que liga Sines-Poceirão-Caia mas o que resultou da Cimeira não foi claro na forma como tudo isto vai funcionar. Também ficamos satisfeitos pelo facto do comboio Celta parar em Viana do Castelo e em Nine mas isso não é suficiente para a área empresarial”.

António Marques referiu, por isso, que irão acompanhar o assunto de muito perto, uma vez que existe no Norte de Portugal e na Galiza um grande fluxo de mercadorias. “Sem mobilidade e sem mobilidade barata não há competitividade para as empresas. A mobilidade é estratégica e decisiva para a competitividade das empresas do Norte de Portugal e da Galiza”, remata.

Outro aspeto firmado neste encontro foi a realização, até ao final do ano, de missões empresariais conjuntas a Moçambique e ao Equador. “A ida a Moçambique não é por estar muito na moda. Esta missão não se cingirá a Maputo mas a outras regiões do país, como Nampula e Tete. Esta será uma missão para discutir projetos concretos”, salienta o presidente do CECOTRAN.

O encontro realizou-se no âmbito do CECOTRAN, uma plataforma empresarial que tem como objetivo contribuir para a minimização de défices estruturais, promovendo uma maior integração económica e a exploração de complementaridades e potencialidades que permitam a dinamização do investimento, da internacionalização, do aproveitamento de oportunidades de negócio, do fomento tecnológico e da formação profissional adequadas aos interesses da região transfronteiriça Norte de Portugal e Galiza.

O CECOTRAN foi constituído em 2012 pela Associação Industrial do Minho (AIMinho), pela Associação Empresarial de Viana do Castelo (AVEC), pela Confederação de Empresários de Pontevedra (CEP) e pela Confederação de Empresários de Ourense (CEO).

PUBLICADO EM: 2014-06-12 23:30

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16761
Pontos : 49160
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 31
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.forumotion.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum