Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

cmtv  tvi24  cais  

Últimos assuntos
Galeria


Outubro 2018
DomSegTerQuaQuiSexSab
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

REDE IBÉRICA DE ENTIDADES TRANSFRONTEIRIÇAS VAI PEDIR PLANO DE ATUAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE INFRAESTRUTURAS NA CIMEIRA IBÉRICA

Ir em baixo

REDE IBÉRICA DE ENTIDADES TRANSFRONTEIRIÇAS VAI PEDIR PLANO DE ATUAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE INFRAESTRUTURAS NA CIMEIRA IBÉRICA

Mensagem por Admin em Qua Nov 19, 2014 6:22 pm


VIANA DO CASTELO – A Assembleia Geral da Rede Ibérica de Entidades Transfronteiriças – RIET, formada por 31 entidades políticas, empresarias e universitárias e presidida pelo autarca de Viana do Castelo, vai pedir à próxima Cimeira Hispano Lusa (Cimeira Ibérica) um plano de atuações económicas de fronteira centrada no desenvolvimento das infraestruturas viárias, portuárias e ferroviárias, assim como a criação de uma plataforma conjunta de correios e um portal administrativo conjunto que facilite a criação e implementação de empresas no outro lado da fronteira.

A Assembleia que acaba de acolher 7 novos sócios – 6 universidades de territórios de fronteira (Vigo, duas de Salamanca e Huelva, pela parte espanhola e Aveiro e Trás-os-Montes e Alto Douro, pela parte portuguesa) juntamente com a Confederação de Empresários da Galiza, CEG- considera prioritários os corredores ferroviários de mercadorias Sines-Badajoz, Aveiro-Salamanca e Sines Ferrol para rentabilizar a ampliação do Canal do Panamá que serão comtempladas através de um convénio marco de transportes de proximidade transfronteiriço no âmbito das comunidades autónomas espanholas e as respetivas direções regionais de Portugal.

Por isso, a RIET vai recomendar à Cimeira Ibérica a recuperação da navegabilidade do rio Minho, com especial atenção ao troço entre A Guarda e Caminha. RIET considerou prioritário que se avance no corredor ferroviário entre Sines, a sul de Lisboa e Ferrol, em que cujo troço intermedio se encontra em Vigo-Porto, atualmente em fase de licitação por parte das autoridades lusas.

Paralelamente, será solicitado à Cimeira Ibérica a modernização da ligação Madrid Lisboa (Lusitania) na zona portuguesa à altura de Valenciad e Alcántara e garantir a sua continuidade. Trata-se de uma ligação fundamental para vertebrar o território tanto a nível de passageiros como de mercadorias. Atualmente encontra-se paralisada a renovação de vias no lado português, ao mesmo tempo que se questiona dar continuidade ou não à mesma. Também reclama das autoridades espanholas modernização do troço na ligação da linha Beira Alta, desde Fuentes de Oñoro até Salamanca.

No plano viário, a Rede Ibérica solicitará a ligação A6/E82 entre Quintanilha e Zamora para dar continuidade à autoestrada transmontana que estará pronta em finais deste ano, assim como definir o ponto de ligação entre a autoestrada Transmontana com a A52 entre Puebla de Sanabria e Bragança. Por último, a RIET reclama a construção da Ponte Internacional de Masuaco, em Salamanca.

A RIET solicitará igualmente à Cimeira Ibérica terminar a implementação do início das obras do corredor ferroviário de mercadorias Sines-Poceirão-Elvas-Badajoz. No plano viário, a Rede Ibérica solicitará que se retome o estudo e a previsão orçamental no lado português para terminar a ligação da A5, Madrid-Badajoz, à de altura de Plasencia-Coria-Castelo Branco, assim como, a ligação por autoestrada de Morajela-Monfortiño-Castelo Branco (a união da EX-A1 com a A23).

A RIET solicitará à Cimeira Ibérica lançar o estudo para criar a linha ferroviária Fuente San Esteban até Pocinho, que esteve em exploração mas foi encerrada devido a problemas económicos, embora a parte do troço português continue ativo. Também, se solicitará uma linha ferroviária que ligue Huelva e Faro.

O Presidente da RIET e presidente de Viana do Castelo, José Maria Costa, afirmou que “enquanto até esta data eramos a maior fronteira e mais antiga da Europa, agora convertemo-nos na mais participativa e estruturada ao consolidarmos como um modelo único na Europa, integrada por 14 entidades transfronteiriças, 14 associações empresarias e 6 universidades, tanto de Espanha como de Portugal”.

NOV 19
NORTE, PORTUGAL
VIANA DO CASTELO

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16761
Pontos : 49160
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 31
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.forumotion.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum